• qui. jan 21st, 2021

Nova técnica rastreia origem da covid-19 em apenas 4 horas

ByMax Blanc

dez 10, 2020
Tempo atual de detecção desses casos é de cerca de 24 horas na Austrália

Tempo atual de detecção desses casos é de cerca de 24 horas na Austrália
Freepik

Um grupo de cientistas da Austrália desenvolveu uma técnica pioneira, rápida e altamente precisa de sequenciamento genômico que ajudará a determinar a origem de casos desconhecidos de covid-19 em apenas quatro horas, de acordo com um estudo publicado nesta quinta-feira (10) na revista científica Nature Communications.

Pesquisadores da Universidade de Nova Gales do Sul (UNSW, na sigla em inglês) apoiaram-se em um método de sequenciamento de nanoporos britânico para identificar o novo coronavírus nos casos em que a fonte não é clara ao reconstruir sua história evolutiva, bem como ao detectar os chamados superpropagadores.

O tempo atual de detecção de um desses casos é de cerca de 24 horas na Austrália, que sofreu uma segunda onda de covid-19 na cidade de Melbourne entre junho e novembro, como resultado de supostas falhas nos centros de quarentena para viajantes internacionais.

“Quando um novo caso ‘desconhecido’ de coronavírus é identificado, cada minuto conta”, enfatizou o principal autor deste estudo, Ira Deveson, chefe do Grupo de Tecnologias Genômicas do Instituto Garvan de Pesquisa Médica da UNSW.

Esta nova técnica consiste em identificar as variações genéticas que são produzidas nas transmissões da covid-19 para estabelecer a relação entre aqueles que contraíram o vírus, abrindo ao mesmo tempo a possibilidade de que no futuro o rastreio genômico seja efetuado em tempo real, de acordo com um comunicado da universidade.

“Cada vez que o vírus da Covid-19 é transmitido de uma pessoa para outra, ele comete erros de cópia que modificam algumas das 30 mil cartas genéticas”, explicou Rowena Bull, do Instituto Kirby da UNSW e co-autora deste estudo publicado na revista científica “Nature Communications”.

O método britânico tem a vantagem de não ter limites no comprimento do sequenciamento dos fragmentos de DNA, além de dar a possibilidade de determinar mais rapidamente a sequência completa de um genoma viral, ao contrário dos métodos convencionais que leem até 150 cartas por vez, de acordo com o comunicado da UNSW.

Em resposta às preocupações com relação à precisão desse método de sequenciamento de nanoporos, os pesquisadores da UNSW determinaram que ele tinha 99% de precisão na detecção de 157 amostras de pacientes positivos para SARS-CoV-2.

A Austrália, onde a ênfase foi colocada em sistemas de rastreamento, acumula quase 28 mil infecções desde o início da pandemia, incluindo 908 mortes, a maioria delas devido ao surto de Melbourne.

Fale Conosco
Mande um WhatsApp