• qui. mar 4th, 2021

Mais de 360 mil ameaças digitais foram criadas diariamente em 2020

ByMax Blanc

dez 29, 2020
Pandemia foi um dos fatores que favoreceram os ciberataques ao longo de 2020

Pandemia foi um dos fatores que favoreceram os ciberataques ao longo de 2020
Flickr

Neste ano houve um aumento no uso de dispositivos digitais pelo fato de as pessoas terem ficado mais tempo em casa, e os cibercriminosos se aproveitaram bastante disso. Usando diversos tipos de estratégia, eles dispararam diferentes tipos de vírus com o intuito de prejudicar os usuários.

De acordo com um estudo divulgado pela Kaspersky, empresa internacional de cibersegurança, foram enviados cerca de 360 mil arquivos maliciosos diariamente durante os 12 meses de 2020. Se pensarmos nos 365 dias do ano, ao todo foram gerados mais de 131 milhões de ameaças.

Esse número representa um aumento de 5,2% em relação ao ano passado, quando foram lançados, por dia, cerca de 342 mil malwares pelos criminosos. De acordo com a empresa, 60% destes arquivos maliciosos eram de trojans, ameaças comuns que, de maneira geral, buscam roubar dados ou espionar os usuários.

“Ao longo do último ano, nossos sistemas de detecção descobriram muito mais novos objetos maliciosos do que em 2019. Devido à pandemia, usuários do mundo inteiro foram forçados a passar mais tempo em seus dispositivos e online”, destacou Denis Staforkin, especialista em segurança da Kaspersky.

Além dos trojans, que tiveram um aumento de 40,5% neste ano, os backdoors, que são utilizados para fazer o controle remoto dos dispositivos infectados por algum vírus, cresceram 23% ao longo de 2020. Já os adwares, programas que bombardeiam os aplicativos com publicidade, tiveram uma redução de 35% em relação a 2019.

Normalmente utilizado em desktops e notebooks, o Windows foi o principal alvo dos cibercriminosos, que destinaram 89,8% dos malwares ao sistema da Microsoft. As ameaças ao sistema operacional Android, por sua vez, tiveram uma queda de 13,7% quando comparado com o ano passado.

“Neste ano, registramos um aumento notável no número de novos arquivos maliciosos, e é provável que isso continue em 2021, pois os profissionais continuam trabalhando de casa. No entanto, se os usuários tomarem precauções básicas de segurança, poderão reduzir significativamente o risco de encontrá-los”, ressalta o especialista da Kaspersky.

De acordo com a empresa, algumas orientações para que os usuários possam se proteger de ataques virtuais são: não abrir arquivos anexos suspeitos que aparecem em e-mails, não baixar aplicativos de fontes não confiáveis, sempre instalar atualizações disponíveis e criar senhas fortes e exclusivas para diferentes contas.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Paulo Guilherme

Fale Conosco
Mande um WhatsApp